Plaza Mayor, um dos principais cartões-postais de Madri, é retangular, fortificada e totalmente fechada por edifícios de três andares | ©Shutterstock/Rafael Ramirez Lee

Madri

5 motivos para escolher essa viagem

  • Os melhores museus da Espanha, como o do Prado, o Centro de Arte Reina Sofía e o Thyssen-Bornemisza.
  • O Parque do Retiro, enorme área verde repleta de praças e monumentos, perfeita para tomar sol, praticar esportes ou fazer piquenique.
  • O bairro Malasaña, com lojas, restaurantes, cafés e intensa vida noturna.
  • El Rastro, gigantesca e deliciosa feira de rua com barracas que vendem de tudo, de roupas a suvenires, de antiguidades a peças de segunda mão.
  • O alto astral da Praça de Santa Ana: o antigo reduto de intelectuais da cidade é lugar para comer tapas e fazer uma visita guiada ao clássico Teatro Español, de 1583.
Museu do Prado | ©Shutterstock/Anibal Trejo

Check-list antes de fazer as malas

  • Documento Passaporte com validade mínima de 3 meses após a data da passagem de volta e documentos que comprovem os motivos e a duração da viagem (reservas de hotel, bilhete de volta etc.), comprovante de meios financeiros e seguro-viagem com cobertura mínima de € 30 mil para saúde.
  • Dinheiro Euro.
  • FUSO HORÁRIO Três horas a mais em relação ao horário de Brasília. Essa diferença pode variar nos períodos de horário de verão.
  • Idioma Espanhol.
  • Carro Carteira brasileira de habilitação (CNH) válida e passaporte.

Só tem aqui

A tradição espanhola de “ir de tapas” – faça como os madrilenhos e passe a noite de bar em bar, comendo uma ou duas tapas e bebendo em cada parada. Embora o programa seja tradicional também em outras cidades espanholas, é na boemia de Madri que ele atinge o ápice.

Programe-se

É no verão (junho, julho e agosto), quando os termômetros chegam a 40°C, que a cidade fica mais animada: os dias são mais longos, e rolam festivais de música, cinema e teatro ao ar livre. O inverno (dezembro, janeiro e fevereiro) tem dias curtos, temperaturas mínimas em torno dos 4°C e pouca neve. Para se livrar das temperaturas extremas, prefira o outono ou a primavera. Em qualquer época, vale conferir as mil quinquilharias da feira de rua El Rastro, sempre aos domingos e feriados.

Saiba mais

Com colônias na Ásia, África e América, a Espanha do século 17 formava o império mais poderoso do mundo – e Madri era sua suntuosa capital. O chamado Século de Ouro espanhol deixou marcas profundas na cidade: construções imponentes, parques e praças que remetem a um passado de glória. Alguns lugares-símbolo dessa época, imprescindíveis em qualquer roteiro, são tão próximos uns dos outros que você pode visitá-los em um único dia. É impossível, por exemplo, ir a Madrid sem passar ao menos uma vez pela Puerta del Sol – quase todos os madrilenhos circulam por ali em algum momento do dia ou da semana. É a praça central de Madri, um entroncamento circular que une algumas das principais ruas da cidade. Uma delas é a Calle Mayor, que dá acesso a outros cartões-postais: a Plaza Mayor, construída no século 15, com lojas e restaurantes como o Museo del Jamón, onde você pode provar os melhores presuntos ibéricos; e o Palácio Real, residência oficial do Rei da Espanha (há visitas guiadas). Outros programas indispensáveis são os museus, com coleções de arte espetaculares, e o lindo e sossegado Parque do Retiro. O dia pode terminar entre um show de flamenco, programa mais turístico, e um balcão de bar – são eles, os bares, que dão alma e identidade à famosíssima noite da capital.

  • Ávila | ©Shutterstock/Luis Martin

    Ávila | ©Shutterstock/Luis Martin

  • El Escorial, em Toledo | ©Shutterstock/Sean Pavone

    El Escorial, em Toledo | ©Shutterstock/Sean Pavone

  • Plaza Mayor de Salamanca | ©Shutterstock/Botond Horvath

    Plaza Mayor de Salamanca | ©Shutterstock/Botond Horvath

  • Parque do Retiro, em Madri | ©Shutterstock/Kiev.Victor

    Parque do Retiro, em Madri | ©Shutterstock/Kiev.Victor

Confira as ofertas incríveis da To Go